sábado, 26 de novembro de 2011

QUEM É QUE DISSE QUE A DÍVIDA É A RAZÃO DOS CORTES?

Faça clique na imagem para ver o montante da Dívida de cada país, e a quem.

Segundo toda aquela malta que anda a viver acima das nossas possibilidades, a K7 é que somos todos uns esbanjadores incorrigíveis, e que nos endividámos até às orelhas. Pedimos dinheiro para comprar casa, carro, ir de férias, trocar de portátil, e agora vamos todos ter de pagar a factura, com língua de palmo.

Ainda há bocado o Zé Rodrigues dos Santos na RTP1, com aquele ar consternado que usa quando fala destas cenas, dizia que cada português, novo, velho, ou criança, em média, deve cerca de 13 mil euros (dívida pública). Se a isto acrescentarmos a dívida privada, a média sobe para cerca de 38 mil euros.

Só que naquela média entram não apenas os nossos empréstimos da casa, como também a massa que a banca empresta, sem problemas nem garantias, ao pessoal do costume, como por exemplo os MIL MILHÕES de euros emprestados ao Joe fuck you Berardo para comparar acções do BCP, ou os SESSENTA MILHÕES que o Duarte alegado jagunço Lima pediu para comprar os terrenos de Oeiras, ao lado de onde ia ser construído o IPO.

Mas se, como nos querem convencer, a Dívida, independentemente de quem a pariu, é a razão para o roubo dos salários e pensões, a venda ao desbarato das empresas públicas e da água, da asfixia do SNS e do Ensino, então é porque deverá ser muito superior à de todos os outros países europeus que não enveredaram por estes extremos.

E o que eu gostaria que me explicassem, é porque é que com um dívida média cerca de 38 mil euros por cidadão estamos nas ruas da amargura, nós e a Grécia também com 38 mil, quando a Itália deve em média quase 33 mil, a Espanha 41 mil, a virtuosa e poupadinha Alemanha 50 mil, a colaboracionista França 66 mil, o Reino Unido capital da finança 117 mil, e a Irlanda tigre celta chega aos 390 mil euros.

Sem comentários:

Publicar um comentário