segunda-feira, 14 de maio de 2012

O CREPÚSCULO DO EURO



"Alguns de nós temos falado nisto, e aqui está o que pensamos sobre como parece que o jogo vai acabar: 

1. A Grécia sai do euro, muito possivelmente no próximo mês(1). 

2. Levantamentos massivos dos bancos espanhóis e italianos, com  depositantes a tentar transferir o dinheiro para a Alemanha. 

3a. Talvez, apenas talvez, controles de facto, com os bancos proibidos de transferir depósitos para fora do país, e limites para levantamentos de dinheiro. 

3b. Alternativamente, ou talvez em conjunto, enormes saques em crédito do BCE para evitar o colapso dos bancos. 

4a. A Alemanha tem uma opção. Aceitar os créditos públicos sobre a Itália e Espanha, além de uma revisão drástica de estratégia - basicamente,   dar  garantias sobre as dívida para manter os custos dos empréstimos baixos, e um objetivo de inflação mais elevada da zona euro para tornar possível o ajuste dos preços relativos , ou: 

4b. Fim do euro. E estamos a falar de meses, não anos, para o jogo acabar."

Paul Krugman no The New York Times

(1) Como lembra hoje Rui Tavares no Publico, de acordo com os tratados da União, não há saídas do Euro, a menos que o país saia da União, e a saída da União é voluntária, só o próprio país é que pode tomar essa decisão.
Claro que se a Alemanha quiser a Grécia, ou Portugal, fora do Euro, ou da União, não vai ser um qualquer tratado que a vai impedir.

Sem comentários:

Publicar um comentário