segunda-feira, 25 de julho de 2011

QUANTO MAIORES AS PILAS, MENOR O CRESCIMENTO DO PIB
(Isto serão boas ou más noticias?)


Propositadamente irónico ou simplesmente ridículo, um bom exemplo daquilo que hoje em muitas Universidades passa por Ciência Económica:

Segundo um paper de Tuta Westling, um estudante de doutoramento do Departamento de Estudos Políticos e Económicos da Universidade de Helsinquia, o tamanho do órgão reprodutor masculino poderá explicar por si só cerca de 15 a 20% do crescimento do PIB.

Os resultados indicam que cada centímetro a mais no tamanho do pénis reduz o crescimento económico de 7%, num modelo que leva em conta o crescimento populacional. O nível de confiança deste teste é de 99,9%, que é muito alto para um estudo econométrico, segundo Pierre-Olivier Lachance, um economista na HEC de Montreal.

Lachance confessa-se surpreendido com a escolha do tema, mas não questiona a qualidade da análise: "Ao contrário do que se possa pensar este estudo econométrico é muito sério. É baseado na abordagem de Solow para analise de factores, que é um modelo muito usado em econometria ".

Sem comentários:

Publicar um comentário