terça-feira, 10 de julho de 2012

Crato, o evangelista do antieduquês, rigor, exigência e avaliação, acha que as equivalências do colega Relvas começaram na primária?


Instado pelo Publico a comentar o caso do diploma de Relvas, o ministro da Educação, Nuno Crato, meteu o rigor e a exigência na gaveta e escusou-se a comentar a forma como o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, obteve a licenciatura, dizendo “Não vou comentar nenhum caso sobre um colega meu do Governo”.

O problema é que não se ficou por aí, acrescentando de seguida haver “muitas coisas” que terão de ser pensadas sobre a universidade, o ensino secundário e o básico. Não me digam que as equivalências do Relvas começaram logo na primária?


A propósito do folhetim Relvas um leitor enviou-nos uma nova versão dumas quadras que nos diz terem sido muito populares nos anos 60/70. Clicar aqui para ouvir a musica.

Diplomas bem bonitos
Modernos, originais
Compre já numa privada
Não se preocupe mais.

Porque lá pla Lusófona
Universidade a seu gosto
Satisfaz-se plenamente
O cliente mais afoito

Sem comentários:

Publicar um comentário