sábado, 19 de setembro de 2015

SHIT JOURNALISM THEORY


O produto final da digestão de qualquer organismo pode ser designado por vários termos ou expressões, por exemplo o abestalhado Tavares recorre a resultado da digestão, mas no fundo trata-se sempre de merda.

Que a comunicação social está uma merda pegada já nós sabíamos, só não estava à espera é que um dos seus mais destacados jagunços não só o viesse admitir publicamente, como lançar os fundamento duma nova Shit Journalism Theory (em camone para promover a exportação).
A teoria é simples e resume-se em poucas palavras:

Tese 1
A merda que os jornaleiros cagam e publicam é mais importante do que os acontecimentos a que a merda se refere;

Tese 2
A merda que os jornais e TVs difundem tem um alcance muito superior àquilo esteve na origem da merda.

Independentemente de novos desenvolvimento que o abobalhado Tavares entenda acrescentar à sua novel teoria, a sua crónica de ontem (18/9) no Publico é mais que suficiente para lhe assegurar o próximo prémio Pulhitzer.


(Para que não haja mal entendidos o post a não se refere a todos os que trabalham na CS. De fora ficam uns poucos heróis do quotidiano que, nas mais difíceis e adversas condições, teimam em continuar a informar o publico).

Sem comentários:

Publicar um comentário