quinta-feira, 3 de setembro de 2015

AQUELE NU NÃO É PARA SE FAZER OUVIR, É PARA SER VISTO


Há imagens, e outras intervenções no espaço mediático, que se destinam a dar a voz a ideias, causas ou politicas, algumas delas até com assinalável êxito e resultados palpáveis.

Não é o caso do nu de Joana Amaral Dias na capa duma revista light, que em nada contribuiu para que as ideias ou propostas da coligação Agir se fizessem ouvir.

O que aquele nu consegue é dar visibilidade, reforçar a notoriedade publica de alguém mais conhecido pela presença mediática, do que pelas suas ideias politicas.

Podia ao menos o nu ter ajudado a chamar a atenção para a marginalização que a comunicação social está a impor aos partidos e coligações fora do "arco do governanço", e muito em particular aos partidos sem representação parlamentar, mas até nesse plano não passou dum acto falhado.

Sem comentários:

Publicar um comentário