domingo, 22 de junho de 2014

10 PONTOS A PROPÓSITO DA CRIAÇÃO DO SIMAR (*)
Serviço Inter Municipalizado de Águas e Resíduos Sólidos de Loures e Odivelas.


I
A luta dos trabalhadores contra a destruição dos SMAS e por um serviço publico de Águas e Resíduos Sólidos ao serviço das populações de Loures e Odivelas, é a luta politica mais importante dos últimos anos no concelho de Loures (**).

II
A luta dos trabalhadores dos SMAS foi determinante na conquista da Câmara de Loures por Bernardino Soares e a CDU nas autárquicas de 2013.

III
Se o PS tivesse continuado à frente da Câmara de Loures, a privatização das Águas em Odivelas, mesmo com a continuação da oposição dos trabalhadores dos SMAS, estaria agora a ser concretizada sem problemas de maior.

IV
Mas com a vitória da CDU, Susana Amador perdeu quem lhe assegurava a obediência/conivência da Câmara de Loures à concretização da privatização das Águas aprovada em Assembleia Municipal de Odivelas, com os votos favoráveis do PS e PSD, em Fevereiro de 2013.

V
Com o PCP e Bernardino Soares à frente da Câmara de Loures, tentar levar por diante a concretização da privatização (como é que Odivelas podia privatizar uma coisa que não lhe pertencia?) seria meter-se num sarilho sem fim à vista nem solução garantida, e foi isso que levou Susana Amador a recuar e a aceitar negociar com Bernardino Soares.

VI
Cedendo no acessório (paridade na gestão do SIMAR quando Loures tem mais território e população que Odivelas), Bernardino Soares, alcança o essencial, o abandono da privatização e o acordo para a constituição do SIMAR.

VII
A vitória que representa a criação dos SIMAR, embora importante e fundamental nesta fase da luta, não afasta definitivamente os perigos que pendem sobre o serviço publico de água e resíduos sólidos nos concelhos de Loures e Odivelas.

VIII
O recuo de Odivelas pode ser apenas temporário, a criação do SIMAR pode até vir a ser uma base mais favorável para a privatização das águas e lixo no futuro, caso o PS dos interesses e negócios consiga de novo vir a controlar as duas câmaras.

IX
A privatização pelo governo, da EGF/Valorsul é outra frente de ataque do Capital ao serviço publico, contra o qual há que continuar a mobilizar todas as forças politicas que se opõem à privatização do tratamento dos resíduos sólidos, bem como os principais interessados nesta luta, as populações.

X
A prazo, a defesa do SIMAR passa também por resolver os actuais problemas de funcionamento dos SMAS, prestar de forma consistente um serviço eficaz e de qualidade, e responder à aspiração generalizada dos utentes de ver reduzido o valor da "factura da água" (***).


(*) Até dava para explicar (quase) isto tudo por miúdos, mas nem eu tenho tempo nem pachorra para escrever, nem os amigos para ler, assim ficam só as conclusões, e se não estiver de acordo com alguma coisa podemos sempre trocar umas ideias sobre o assunto.

(**) O acontecimento politico mais importante foi a vitória da CDU nas autárquicas de 2013, mas isso seria assunto para outros pontos.

(***) A chamada "factura da água" inclui o pagamento da água consumida, mais os serviços de águas residuais e a recolha do lixo.

Sem comentários:

Publicar um comentário