quarta-feira, 26 de julho de 2017

O CANDIDATO PSD/PNR NÃO É PROPRIAMENTE CANDIDATO À CÂMARA DE LOURES


Como o próprio ontem disse à SIC Noticias "Lancei um tema (racismo e xenofobia) que os portugueses há muito queriam discutir", só se confirma o que já sabíamos, que é o país o verdadeiro móbil desta alegada candidatura à câmara de Loures.

O candidato racista e xenófobo não só não é de Loures nem vive em Loures (o que em principio não e óbice) mas sobretudo mostra que não sabe, nem quer saber o que é a realidade do município. Por exemplo, alguém que põe na rua um cartaz a dizer que vai criar 10 MIL novos empregos em Loures não só não tem sequer uma vaga ideia, como nem se informou, de qual é a população do concelho.

DEZ MIL novos empregos em Loures é o equivalente a MEIO MILHÃO de novos empregos em Portugal o que, nem no tempo das vacas gordas, nunca ninguém se atreveu a prometer (o máximo que me lembro foram 150 mil novos empregos, o que esteve longe de ser cumprido).

O verdadeiro objectivo desta alegada candidatura de extrema direita é testar o potencial para o lançamento duma força politica abertamente racista e xenófoba (dentro ou fora do PSD de Passos que para já se dispôs a funcionar como barriga de aluguer) que, em termos de apoio e votos, pudesse dar um novo fôlego ao desastroso e miserável projecto neo liberal pafista que Passos & comandita afundaram.

E nem sequer escolheram Loures para o lançamento deste balão de ensaio, direccionado em primeiro lugar contra os ciganos, por haver uma grande população cigana neste concelho. Em Loures os ciganos são apenas os mesmos 0,5 % da população que nos concelhos vizinhos de Lisboa e Amadora.

Nem escolheram Loures por no concelho haver particulares problemas de tensões sociais, insegurança ou crime. Pelo contrário em Loures o crime tem baixado nos últimos anos, e as politicas de diversidade cultural e social têm elevada adesão e apoio da população e das instituições da sociedade civil e religiosa, e apresentam resultados muito positivos.

O que levou à escolha de Loures para esta campanha racista e xenófoba de intenção nacional é não só a visibilidade que resulta da dimensão e importância económica, social e cultural deste concelho, mas sobretudo por estar à frente da Câmara de Loures o destacado dirigente do PCP Bernardino Soares.

Além do habitual ataque anti comunista, esperam os provocadores que tal ajude à dramatização politica desta manobra de extrema direita e concite a atenção e empenho dos Mass Mérdia (como aliás já está a acontecer) sempre ávidos em promover tudo o que há de mais negativo na sociedade portuguesa.

Alheia a Loures, alheia aos mais elementares princípios éticos, cívicos e democráticos, claramente racista e xenófoba, que o próprio CDS já rejeitou retirando-se da coligação, veremos agora quem em Loures (e no país) assume a ignomínia de integrar, apoiar ou tirar partido desta repugnante provocação de extrema direita mascarada de candidatura à Câmara de Loures.

(Na foto um grupo acompanha a pintura dum painel de arte urbana no bairro da Quinta da Fonte, freguesias de Camarate Apelação e Unhos, Loures).

Sem comentários:

Publicar um comentário