quarta-feira, 1 de julho de 2015

"LOURES EM CONGRESSO": OPINIÃO DUM MUNÍCIPE


Dum munícipe interessado no que se passa na terra onde vive e que, embora não tendo participado em nenhuma das iniciativas do "Loures em Congresso", acompanhou com interesse esta original, importante e oportuna iniciativa da Câmara de Loures.

Oportuna por, depois de 12 anos duma gestão autárquica PS marcada pela incompetência, clientelismo e cedência a interesses lesivos do município e dos munícipes, ser um contributo crucial para inverter a rota de degradação das estruturas camarárias e do generalizado declínio do concelho de Loures.

Original numa escolha que, rejeitando o tradicinal todos numa sala a ler comunicações (umas talvez interessantes, a maioria decerto enfadonhas), preferiu para cada iniciativa escolher, em vez do modelo único, o formato mais adequado à questão que se pretendia conhecer melhor, discutir, e eventualmente chegar a uma conclusão.

Importante porque para além da incontornável e prioritária dimensão politica das questões em que a Câmara intervém, há igualmente para a maioria delas, em maior ou menor grau, a necessidade dum conhecimento técnico detalhado das matérias e das opções concretas que se colocam a quem tem de tomar as decisões.

Juntar à volta de cada questão concreta, e da forma mais adequada ao assunto, para além do Executivo, os técnicos e outros funcionários da Câmara que com elas lidam, os autarcas e activistas de base que as sentem junto das populações, especialistas das matéria e pessoas com outras experiências relevantes, e mesmo nalguns casos os munícipes directamente interessados, foi de facto um achado dos organizadores do "Loures em Congresso", que deve servir de exemplo não só a outras autarquias, mas a outras organizações e instituições empenhadas em melhorar a qualidade da sua intervenção junto das populações.

Muito se fala na Crise da Democracia, e muitas ilusões se criam à volta de formas de intervenção que por vezes se limitam a juntar meia dúzia de desiludidos de partidos em moldes que se esgotam no artificial impacto mediático; e injustamente pouco se valorizam iniciativas como o "Loures em Congresso" que é também um exemplo de como se pode ir além desta democracia de faz de conta em que se afunda a chamada "Europa".

Mas apesar dos muitos méritos do "Loures em Congresso" é de ter em conta que, embora com algumas iniciativas abertas a todos, este foi basicamente um "Congresso da Câmara" e não um "Congresso dos Munícipes". E não se veja nisto nada de depreciativo, antes pelo contrário, duvido muito que fosse possível juntar numa iniciativa única os dois "Congressos", e a começar por algum lado a prioridade era inquestionavelmente este "Congresso da Câmara".

Claro que nem tudo terá sido perfeito, e os organizadores e participantes decerto irão analisar o que correu mais ou menos bem. Da minha parte apenas gostaria de referir aquilo que me pareceu uma falha de palmatória, o não ter a organização do "Loures em Congresso" a preocupação, ou talvez os meios, de ir dando noticia aos munícipes do que ia acontecendo em cada iniciativa, da caracterização das matéria nelas tratadas, das opiniões em confronto, e das eventuais conclusões.

Mas a minha critica principal vai para os munícipes do concelho que não estiveram à altura desta iniciativa da Câmara, e onde, por exemplo, no reduzido espaço publico que ainda nos resta (jornais locais, redes sociais, blogs e FB, à mesa do café) se manteve o pesado silêncio sobre as coisas da nossa terra, que nem o "Loures em Congresso" conseguiu espevitar.

Foi de facto confrangedor ver como, a este nível, os munícipes do concelho, apesar da simpatia e apoio por alguns manifestado, passaram ao lado destes 100 dias de "Loures em Congresso", não aproveitando o grande debate lançado pela Câmara para virem para o espaço publico discutir as questões concretas da sua terra ou falar da sua visão para o futuro do simpático concelho de Loures.

Sem comentários:

Publicar um comentário