segunda-feira, 28 de julho de 2014

DIREITO À MEMÓRIA: LUTA, E REPRESSÃO FASCISTA, EM MOSCAVIDE.


A propósito da exposição "Loures na Rota para a Liberdade (1958-1976)", presente no Arquivo Municipal de Loures, recordo aqui o documento "TODOS AO RECENSEAMENTO ELEITORAL" que servia de apoio a uma campanha de recenseamento porta a porta, levada a cabo, em princípios de 1971 em Moscavide, por activistas do MDP/CDE.

Embora tratando-se duma iniciativa no quadro "legal" do regime, e se viver então em pretensa "primavera marcelista", nada escapava à vigilância e repressão do regime fascista (que agora tanta gente se empenha em branquear) como podem ver pela Informação do pide, que decorre da decisão de identificar os "subversivos" responsáveis por tal acção "anti regime".


Se repararem as averiguações incidiram apenas sobre alguns, não todos, os signatários do Apelo, porque a maioria, como pode ler na Informação do pide: "QUANTO AOS RESTANTES, EM VIRTUDE DE JÁ EXISTIREM AS SUAS IDENTIDADES (FICHAS) NA DGS (PIDE), NÃO FOI PRECISO PROCEDER-SE ÀS AVERIGUAÇÕES ACERCA DOS MESMOS".

Lembrar quem não viveu esses tempos que ter Ficha na Pide era suficiente para, entre outras coisas, uma pessoa deixar de ter acesso a emprego, ou mesmo ser expulso da função publica e de grandes empresas, ser-lhe vetado o exercício de cargos dirigentes em qualquer tipo de associação (todas sujeitas a homologação do governo), ver recusada a emissão de passaporte, enfim, ter a sua vida publica e privada devassada pelos agentes e a tentacular rede de informadores da Pide.





Sem comentários:

Publicar um comentário