sábado, 20 de fevereiro de 2016

ATIRADOS AO RIO


Com uma Comunicação Social que basicamente é um ramo da Industria de Entretenimento, e em que uma das suas mais profícuas actividades é o espectáculo da desgraça, já (quase) nada nos pode admirar.

Uma mãe em estado de hipotermia, uma criança morta e outra desaparecida, era de facto uma tragédia em que os abutres dos Mass Mérdia não podiam deixar de chafurdar.

Com base em alguns factos e poucos indícios, vão-se construindo as mais desencontradas e destrambelhadas narrativas, que ora põem as culpas na mãe ora as atiram para cima do pai, este último prestando-se inclusive a dar a sua contribuição voluntária para o circo mediático montado à volta do caso.

Hoje, mais uma vez sem quaisquer provas, a versão, que leio no jornal e que ouço na TV, é que as duas crianças foram "atiradas ao rio", o que faz nascer em mim o incontornável desejo de ver todos os que nos Mass Mérdia têm alimentado este repugnante folhetim, serem eles próprios, sem apelo nem agravo, profilacticamente ATIRADOS AO RIO.

Sem comentários:

Publicar um comentário