sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

ELEIÇÕES NA GRÉCIA, HÁ SEMPRE ALTERNATIVAS


A possibilidade do Syriza ganhar as eleições do próximo domingo, mesmo com a insistência com que vem reafirmando a sua posição de não pôr em causa a presença da Grécia no Euro e na UE, está a mobilizar os donos da "Europa" para assustar os gregos, e deixar bem claro que não estão dispostos a aceitar quaisquer alterações às regras do jogo.

Depois da chantagem da Merkel (ou os gregos aceitam que fique tudo na mesma ou vão para o olho da rua) diz agora Draghi, para não deixar ilusões a ninguém, que o eventual programa de compra pelo BCE de títulos da Divida dos países (como faz a FR americana e outros bancos centrais) não se aplicará à Grécia, que assim continuará exclusivamente à mercê do fundamentalismo destruidor das Troikas.

É claro que Merkel e o BCE nunca irão aceitar as propostas de reforma do Euro e da UE do Syriza que, no caso de vencer as eleições, se verá inevitavelmente confrontado com a escolha entre prosseguir a via troikista de destruição do país, ou mandar o Euro e a UE às urtigas.

Entretanto, do outro lado do continente, a Russia já tinha anunciado há semanas o cancelamento do gasoduto conhecido como "South Stream", e em sua substituição a construção dum gasoduto para a Turquia, que irá até à fronteira da Grécia.

Agora é o ministro da Agricultura da Russia que em Berlim afirma que no caso de a Grécia ter de deixar a UE, as contra sanções da Russia à UE, que estão a levar à ruína os agricultores gregos, serão levantadas.

É caso para os gregos pensarem duas vezes, se preferem continuar num Euro e numa UE,que só lhes trazem miséria, destruição social, recessão e desemprego (25% a nível geral e 50% entre os jovens), ou se não será já mais que tempo de procurarem outras alternativas.

Sem comentários:

Publicar um comentário