sábado, 15 de novembro de 2014

A CRISE, O PCP, E O ESTAFADO FADUNCHO DO "NÃO HÁ ALTERNATIVA".


Muita gente séria e bem intencionada olha para as posições e propostas do PCP sobre a saída da Crise como se de meros exercícios de Oposição se tratassem, de soluções, supostamente, com pouca ou nenhuma aderência à realidade.

Outros pensarão que uma vez no poder o PCP acabaria a fazer o que os outros têm feito, a cantar à desgarrada o faduncho do "NÃO HÀ ALTERNATIVA" à destruição do Estado Social, à venda ao desbarato do nosso património, à desvalorização salarial, ao empobrecimento e submissão desta e das gerações futuras à escravatura da Dívida em modo Austeridade.

Quando o PCP em 2013 assumiu as responsabilidades da gestão da Câmara de Loures, que o PS deixou à beira do colapso, de forma semelhante à que deixou o país em 2011, muitos, como Rui Ramos que chamou a Bernardino Soares o" Vitor Gaspar de Loures", vaticinaram logo que não restaria ao PCP outra alternativa que seguir na Câmara de Loures a receita troikista, que PPD e CDS têm aplicado ao País.

O que aconteceu de facto foi que Bernardino Soares foi para a câmara cumprir as promessas eleitorais da CDU, renegociou a divida com os fornecedores, parou a privatização dos SMAS, respeitou os direitos dos trabalhadores da autarquia, combateu o desperdício e repôs sectores paralisados, como o Departamento de Obras, ao serviço dos munícipes de Loures.

Claro que nisto não fala a comunicação social, que prefere alinhar no coro do "NÃO HÁ ALTERNATIVA", em vez de promover o debate sério e fundamentado do presente e futuro do País.

Ou quando a dita CS abre uma excepção, como fez o pasquim electrónico de direita OBSERVADOR que chama a Bernardino Soares "O comunista neoliberal", é para inventar umas quantas atoardas e tentar dar uma imagem absolutamente distorcida do que tem sido, ao longo deste primeiro ano de mandato, a gestão do PCP na câmara de Loures.

Só que a isto chama-se ir buscar lã e sair tosquiado, pois o que acabou por acontecer foi o artigo do OBSERVADOR trazer para a discussão pública um exemplo cristalino de que não só o PCP tem soluções realistas como, quando os eleitores lhe dão a sua confiança, as põe escrupulosamente em pratica, como muito bem explica Bernardino Soares em "UM AUTARCA COMUNISTA E UM GOVERNO NEOLIBERAL" que bem merece uma leitura sem preconceitos de todos os eleitores deste tão massacrado País.

Sem comentários:

Publicar um comentário