quinta-feira, 24 de abril de 2014

O ESTRANHO PROCESSO DE BRANQUEAMENTO DO FASCISMO EM CURSO.


Por razões que a razão desconhece os três ex-presidentes da Republica desta triste e tão maltratada Democracia, decidiram também aderir à campanha de lavagem do fascismo em que as comemorações que actual Situação está a promover para assinalar os 40 anos do 25 de Abril se está a transformar.

Há pouco no Telejornal lá estavam eles na Gulbenkian a ouvir a filha do ultimo presidente do conselho de ministros dos 48 anos de ditadura a fazer o branqueamento da memória do pai.

Para quem possa pensar que o consulado de Marcelo Caetano correspondeu a uma qualquer abertura do regime, e que o seu papel foi o de iniciador da transição para a Democracia, nada de mais errado.

Por exemplo, tal como o Exame Prévio de Marcelo era ainda pior do que a Censura de Salazar, também o tecnocrático nome de DGS, com que crismou a Pide, não só em nada alterou a natureza daquela policia politica, como inclusive o carácter repressivo e violento da sua actuação se agravou nos ultimo anos do fascismo.

Em 21 de Julho de 1973, em Moscavide, numa acção pré-eleitoral de contacto com as populações, semelhante às que os candidatos da CDU às autarquias de Loures realizaram pelas localidades do nosso concelho o ano passado, a PSP prende José Augusto Gouveia, e mais três activistas, que de seguida são entregues à Pide e levados para Caxias.

A 22 de Agosto depois de 3 semanas de tortura e de quase duas semanas em estado de delírio extremo e intenso sofrimento, isolado na sua cela, mas de que outros presos em Caxias se podiam aperceber pelo gritos lancinantes, que mais pareciam dum animal do que dum ser humano, a Pide resolve entregá-lo nas urgências do Hospital Miguel Bombarda, conforme podem ver por esta Guia de Marcha.

Um médico democrata reconhece-o e avisa e família, e só mais de dois meses depois, a 2 de Novembro, José Augusto Gouveia tem finalmente alta do Miguel Bombarda e vai para casa, muito combalido, sem obviamente ter sido objecto de qualquer processo ou acusação. A recuperação, desta sua 4ª prisão pela Pide, foi muito lenta e só se dá verdadeiramente com a alegria do 25 de Abril.

De 1974 a 1976 José Augusto Gouveia desempenha as funções de Presidente da Comissão Administrativa da Câmara de Loures, onde depois disso se mantém por mais alguns anos como vereador.

Sem comentários:

Publicar um comentário