segunda-feira, 15 de setembro de 2014

CESSAR O QUÊ?
Sobre o Cessar Fogo no leste da Ucrânia.


Ao fim de 10 dias e apesar de algum optimismo inicial, torna-se claro que as hostilidades no leste da Ucrânia nunca cessaram, e que se houve de facto uma abrandar das hostilidades tal deve-se à necessidade de as forças de ambos os lados se reagruparem e reposicionarem no terreno, depois da ofensiva da resistência nos finais de Agosto, que penalizou fortemente os nazi fascistas de Kiev.

Mas desde o principio houve sérias dúvidas sobre a viabilidade do cessar fogo. Em primeiro lugar devido ao que separa as duas partes, depois por a Junta de Kiev ter sempre violado anteriores acordos, e por ultimo devido a não se perceber quem fica obrigado por um acordo de cessar fogo assinado por:

Heidi Talyavini, embaixadora da OSCE L.D. Kuchma, presidente da Ucrania de 1994 a 2005 M.Y. Zurabov, embaixador da Russia A.V. Zakharchenko I.V. Plotnitskiy

Ou seja uma embaixadora da OSCE, que participa como observadora, um antigo presidente da Ucrânia que não revela quem está a representar, um embaixador da Rússia que sempre afirmou não ser parte do conflito (e portanto estará ali como observador ou facilitador) e os dois líderes das republicas de Lugansk e Donetsk, que assinam a titulo individual, sem indicação dos seus cargos na RPL e RPD, e que agora vêm a publico esclarecer que participaram nas negociações como observadores. Nem numa novela de Kafka se encontra enredo tão absurdo.


Nota final
O Acordo de Cessar Fogo, de que pode ver uma cópia e tradução em Inglês aqui: http://bit.ly/YLErXT é também uma pequena obra prima da arte da obfuscação.

Sem comentários:

Publicar um comentário