sábado, 30 de março de 2013

DON'T GIVE UP, ALCIDES
For every job, so many men
So many men no-one needs



Alcides Santos(*), desempregado e activista do Movimento Sem Emprego, escreveu uma carta ao Provedor de Justiça, onde invoca o DIREITO DE RESISTÊNCIA consignado no artigo 21º da Constituição, e anuncia a sua decisão de deixar de pagar impostos.
(Ver no Expresso de 29/3/2013 ou AQUI).

Though I saw it all around
Never thought that I could be affected
Thought that we'd be the last to go
It is so strange the way things turn

Got to walk out of here
I can't take anymore
Going to stand on that bridge
Keep my eyes down below
Whatever may come
And whatever may go
That river's flowing
That river's flowing

Moved on to another town
Tried hard to settle down
For every job, so many men
So many men no-one needs

Don't give up
'Cause you have friends
Don't give up
You're not the only one
Don't give up
No reason to be ashamed
Don't give up
You still have us
Don't give up now
We're proud of who you are
Don't give up
You know it's never been easy
Don't give up
'Cause I believe there's a place
There's a place where we belong


(*) Para os amigos destes lados, recordo que o Alcides cresceu por aqui, em Moscavide, filho da Lurdes e do Ernesto que trabalhava na Dialap.

sexta-feira, 22 de março de 2013

EMIGRANTES DE SUCESSO
Odisseia do jovem Farrajota no país dos Assessores.


Como qualquer meio de comunicação social que se preza não pode o Essência, de vez em quando, deixar de falar do sucesso conquistado a pulso pelos nossos emigrantes em terras da estranja.

Há cerca dum ano aqui demos conta dum largo grupo de jovens que emigrou para o país dos Assessores, e hoje, graças à amabilidade dum leitor, estamos em condições de vos informar que um deles, o jovem Farrajota, continua a sua fulgurante carreira de sucesso:

"Mais de um ano depois deste post, envio um refresh do caso boy-Farrajota: Assessor foi apenas trampolim para aprendiz de diretor geral... 
Não é que casos destes não estejam por todo o lado, mas se calhar só algumas pessoas é que ainda os acham anormais (para ser gentil na terminologia)... 

Continuando, tendo-se reformado o vetusto diretor geral (há mais de 30 anos no cargo...) lá do burgo(direção geral de planeamento e gestão financeira do MEC), e tendo ele andado a instruir o 'aprendiz-com-cartão-laranja-alentejano-dos-quatro-costados', só depois da reforma do outro descobriram (o ministro e 2 secretários de estado que ao burgo se deslocaram pessoalmente para analisar o problema!) aquilo em que todos já tinham reparado: o aprendiz de DG não poderia ser nomeado DG porque, entre outras coisitas... (sem falar em competência e experiência...) só tinha licenciatura há 10 anos e precisava de tê-la há pelo menos 12... 

Ora bem! Conhecem a história da pescada?... ... que antes de o ser já o era?... Pois é, o aprendiz de DG, Luís Farrajota sua graça, é como a pescada, com a diferença de que esta o pode ser (pescada), e ele não pode ser DG pois não preenche os requisitos legais. 

Mas certamente com medo que alguém se aproprie do lugarzinho a que há tanto tempo anda a deitar a escada com tanto sacrifício pessoal... (MESMO SEM PASSAR POR QUALQUER CONCURSO DE SELEÇÃO, tão apregoado pela GERAP...), não foi de modas: AUTONOMEOU-SE DIRETOR GERAL DA DGPGF NO LINKEDIN!!!! (http://pt.linkedin.com/pub/lu%C3%ADs-farrajota/34/135/963) e, para compor o ramalhete, ainda acrescentou a titularidade de um mestrado (entre 'a meia dúzia' de 'Master's degree' que já possui...) em Gestão e Políticas Públicas em 2012, quando SÓ O INICIOU ESTE ANO LETIVO, HÁ POUCOS MESES!!! 

Esclareça-se, também, que se trata de um dos mestrados da APEX (acordo da AP com algumas universidades), PAGO PELA Direção Geral de Planeamento e Gestão Financeira do MEC!!!Para compensar tanta desonestidade, foi honesto ao referir as suas Especializações em Liquidações, Extinções e, principalmente, INSOLVÊNCIAS (basta ir ver empresas e organizações por onde andou... TransRJD p. ex...)É só burlões neste País! Realmente em ambiente de degradação moral, a vergonha já há muito que emigrou..."

segunda-feira, 18 de março de 2013

SAIBA COMO VÃO SER AS "RESCISÕES AMIGÁVEIS" NA FUNÇÃO PUBLICA.


O Publico de hoje informa que o Governo está a preparar um programa de rescisões amigáveis para a Função Pública, e aqui na  Essência já temos os pormenores de como vão ser essas rescisões.

Então é assim: ao final do dia o funcionário é chamado ao gabinete do chefe que lhe comunica que vai para o olho da rua e o convida, de forma amigável, a ir beber um copo ao bar, ou tasca, mais próximo.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Um Leigo no Vaticano

E DE REPENTE, entraram-me pela casa dentro, disseram-me para emalar algumas camisas, peúgas, roupa interior e artigos de higiene, e levaram-me de escantilhão para o Conclave, antes que o Camerlengo fechasse as portas e desse a volta à chave. Reclamei, dizendo que não era crente, que nunca fiz mal a ninguém, mas eles ripostaram que bastava ter sido baptizado e ainda não ter sido excomungado, para satisfazer as condições mínimas. Como estou desempregado há dois anos e as perspectivas de arranjar trabalho são muito negativas, meti a viola no saco e deixei-me ir. Portanto, meus amigos, é escusado telefonarem, já que são proibidos os telemóveis, nem enviar mails, pois são proibidos computadores, e até nem posso ver televisão, nem ouvir rádio, nem ler jornais, nem comunicar com os leigos que dão apoio aos cardeais eleitores, para além daquele simplório traga-me uma "pizza", um "capuccino", uma aspirina, ou arranje-me um rolo de papel higiénico. Apenas se pode buscar inspiração falando com Zeus, e mesmo assim apenas pelo interposto Espírito Santo, que não se deve confundir com o outro, aquele Salgado do BES. Isto das religiões é uma coisa muito complicada! Sem ter feito mal a ninguém, com a renda da casa, as facturas da água, gás e electricidade em dia, e sem ser relapso fiscal, querem lá ver que ainda saio desta embrulhada eleito Papa!